Desenvolvimento de um produto: as 6 etapas essenciais da criação

Tempo de leitura: 6 minutos

Para o desenvolvimento de um produto novo ou para a melhoria de um produto que já existe, algumas etapas são sugeridas.

Com o grande desenvolvimento tecnológico, muitas empresas já não conseguem competir baseadas apenas na qualidade ou nos custos dos produtos oferecidos. Com a segmentação cada vez maior dos mercados, oferecer inovações contínuas aos consumidores tornou-se um diferencial competitivo.

Um dos gurus do marketing mundial, Philip Kotler, diz que, as empresas que não forem capazes de desenvolver algum tipo de inovação podem gerar riscos à sua sobrevivência, pois os produtos são vulneráveis às mudanças de consumo, às tecnologias e à competitividade global.

Nesse artigo vamos trabalhar essas etapas no modelo a seguir, adaptado com base nas teorias de Philip Kotler:

  1. Geração de ideias – inovação;
  2. Triagem das ideias;
  3. Teste de conceito ou teste preliminar;
  4. Análise de viabilidade de mercado;
  5. Teste de mercado;
  6. Comercialização – time-to-market.

1. Geração de Ideias (Inovação)

Desenvolvimento de um produto

As necessidades e os desejos do mercado-consumidor são os pontos de partida para que a empresa busque ideias de inovação, identificando novas necessidades de consumo. Entretanto, muitas empresas de sucesso têm adotado a cultura de incentivar seus funcionários na busca por novas ideias (KOTLER, 2000).

De qualquer maneira, toda ideia deve passar pelo processo completo de inovação, a fim de evitar erros que levam as empresas ao fracasso.

Sendo assim, podemos gerar grandes ideias da seguinte forma:

  • Ouvindo os clientes – as reclamações ou sugestões enviadas por clientes são ótimas fontes de novas ideias, mas, para isso, é preciso que a empresa tenha um canal de comunicação direto com os clientes;
  • Ouvindo os funcionários – os funcionários são as pessoas que estão em contato direto com clientes, processos e fornecedores;
  • Observando relatórios de vendas – os vendedores estão em contato direto com os clientes;
  • Observando os concorrentes – também é possível perceber oportunidades para novos produtos ou serviços detectando a existência de pontos fracos na concorrência;
  • Contratando universidades ou até mesmo inventores;
  • Mantendo um departamento de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) na empresa.

2. Triagem de Ideias

Desenvolvimento de um produto

A triagem é a filtragem das ideias. Ideias que não atendem a uma necessidade devem ser descartadas! Das Ideias devem fazer parte os seguintes fatores:

  1. Descrição do possível mercado-alvo;
  2. Concorrência;
  3. Custo de Produção;
  4. Desenvolvimento;
  5. Análise Econômica e de Mercado.

Além desses fatores, as ideias devem, ainda, atender os objetivos estratégicos do negócio, levando em consideração, custos, retorno e etc. Uma vez que as ideias foram escolhidas, seguimos para a próxima etapa.

3. Teste de Conceito ou Preliminar

Desenvolvimento de um produto

Na fase de teste de conceito, o produto ou serviço deve ter suas características detalhadas ou até mesmo fazer um protótipo. Esse teste tem o objetivo identificar possíveis consumidores, como o produto é percebido e se há mercado suficiente para o produto.

Kotler enfatiza cinco questões que devem ser respondidas no teste conceito:

  1. Você compraria este produto?
  2. Com que frequência usaria?
  3. Este produto satisfaz a sua necessidade?
  4. Atualmente, outros produtos satisfazem essa necessidade?
  5. O preço do produto condiz com o seu valor?

4. Análise de Viabilidade de Mercado

Desenvolvimento de um produto

A análise de viabilidade de mercado é um estudo financeiro que determina as possibilidades econômicas e financeiras de um determinado projeto de produto ou serviço.

Nessa etapa são apresentadas as projeções de: vendas, prazo de recuperação do investimento, custos e lucros. O propósito é verificar se tais aspectos satisfazem os objetivos da empresa.

5. Teste de Mercado

Desenvolvimento de um produto

O teste de mercado é um tipo de pesquisa de mercado e tem por objetivo avaliar as possibilidades de sucesso de um novo produto no mercado.

Esse teste pode ser bastante oneroso e realizados de diversas maneiras. Veja algumas delas:

  • Mercado-teste: é a restrição ao lançamento de um produto a uma zona específica, como um bairro, uma cidade ou uma região;
  • Mercado-controlado: a empresa coloca o novo produto em um número determinado de lojas e em determinadas localidades, passando a analisar as vendas.

No período de teste, são analisadas as reações do consumidor em relação a embalagens, rótulos, formas de apresentação e ao design do produto. No período de teste, são analisadas as reações do consumidor em relação a embalagens, rótulos, formas de apresentação e ao design do produto.

6. Comercialização (Time-To-Market)

Desenvolvimento de um produto

O momento certo para o produto entrar no mercado é uma questão difícil para o empreendedor. Trata-se de uma decisão da Startup, que pode resultar em uma entrada de mercado antes de possíveis concorrentes. Em função dessa decisão o negócio pode ser reconhecido como referência no mercado.

Na fase comercialização ou time-to-market, é necessário um bom plano de ação. Esse plano definirá as medidas a serem tomadas para organizar a equipe de trabalho, comunicação, distribuição e a estratégia de lançamento do produto.

Kotler chama atenção para fatores que devem ser considerados nessa fase:

  • Que vantagem relativa à inovação é superior às existentes?
  • Essas vantagens correspondem aos valores e às experiências dos clientes?

Mas antes de analisar esses fatores, é importante um diagnóstico do ambiente competitivo da sua Startup, das necessidades e desejos dos consumidores e dos fatores macroambientais.

A análise ambiental é um processo de identificar os fatores internos e externos.

Internamente são analisados os pontos fortes e fracos, que por sua vez, podem determinar o sucesso ou fracasso do seu negócio.  

Externamente, as variáveis são incontroláveis e as Startups recebem fortes influências do ambiente externo que podem impactar diretamente no negócio. Vamos conhecer o ambiente externo melhor?

Ambiente Demográfico: Características da população devem ser analisadas, como: o tamanho e a taxa de crescimento da população, as faixas etárias e os níveis de instrução, o envelhecimento da população etc.

Ambiente Econômico: Poder de compra, renda, preços, juros, dólar, disponibilidade de crédito, inflação, entre outros.

Ambiente Natural: Escassez de matéria-prima, poluição, consciência ambiental.

Ambiente Tecnológico: Novas tecnologias que são desenvolvidas, inovação ou adaptabilidade a novos processos.

Ambiente Político-Legal: Leis, órgãos governamentais, grupos de pressão.

Ambiente Sociocultural: Crenças, valores, costumes, hábitos de compras.

Concorrência: A concorrência pode afetar o posicionamento e a produtividade da empresa.

Comportamento dos Consumidores: Devido aos fatores de influência (como novas tecnologias), o comportamento de compra das pessoas é alterado constantemente.

Conclusão

Valide seu produto com um MVP (Mínimo Produto Viável), teste sua ideia e sua capacidade de comercializar antes de gastar tempo e dinheiro em construir cada ideia que você possui. No final, deixe seus usuários e seus dados dirigir o que você construiu, caso contrário, você vai fazer algo que ninguém quer ou ninguém vê.

O desenvolvimento um produto geralmente se resume em solucionar uma questão “X”. Mas a matemática raramente funciona quando adivinhamos o que é, ao invés de usar dados para equilibrar a equação dos usuários com o produto.

 

Curtiu este post? Me ajude a escrever mais compartilhando nas redes sociais e deixando seus comentários e feedbacks! Quer um post exclusivo da sua startup no nosso blog? Entre em contato! Siga as minhas publicações no Medium